Do que você tem medo quando pensa em tirar um período sabático?

Medo, ansiedade e receio são sentimentos normais ao pensar sobre um período sabático, no entanto é possível superá-los. A seguir algumas dicas para você superá-los.


Ed1f122864f5b83c2ad23f5b697ee1fd

Pietro

Abr 29, 2019

Economista que virou Nômade Digital. Vamos conquistar o mundo?

Saiba do que você tem medo na hora de planejar um ano sabático

Em Junho de 2014 eu estava tendo uma semana péssima. Encontrei um amigo para almoçar - nos encontrávamos semanalmente - e a primeira reação que tive foi dizer “vamos largar tudo aqui no Brasil e vamos tirar um ano sabático?”. Sendo o mais sensato da amizade, ele me respondeu que não era bem assim, que teríamos que estudar a possibilidade. Entendido, era uma ideia maluca.

Minha semana tinha melhorado substancialmente no dia seguinte e a ideia de um período sabático já tinha sido relegada a um canto do meu cérebro. Casualmente fui almoçar novamente com meu amigo - raridade, afinal nosso almoço era semanal - e a primeira reação do mesmo foi dizer “vamos para a Europa? A passagem custa tanto se formos no início de agosto, podemos ir primeiro para a Irlanda, depois seguimos viajando e decidindo quais os próximos passos, vamos? Do que você tem medo?”.

Me assustei, afinal, agora a ideia era concreta, toda minha insegurança veio à tona. Podia sentir minha cabeça enchendo de dúvidas, receios e medos. Seria minha primeira experiência viajando ou até mesmo vivendo sozinho, sem a rede de proteção familiar. Era uma decisão muito difícil, afinal não sabia o que esperar, tinha que pesar todos os pensamentos que me ocorriam.

Isso durou horas dentro do meu cérebro, quando na realidade minha resposta levou 15 segundos. “Bora!”. Dia 05 de agosto de 2014 embarcamos para Dublin, Irlanda.


Temple Bar – Bar mais famoso de Dublin, em sua esquina mais icônica

Para que serve uma viagem sabática?

Em uma viagem sabática colocamos todas as nossas perspectivas e crenças a prova, nos questionando se o rumo que estamos tomando é de fato o que queremos ou o que devemos fazer. Um período de descanso da mente.

A palavra “sabático” vem do Hebreu “šhabbat” e significa dia de descanso (mesma origem da palavra “sábado”). Portanto, um período sabático é exatamente isso, uma pausa no que se está a fazer. Associamos o período sabático a reflexões, reajustes e novas experiências pois somente assim podemos nos distanciar do que consideramos normal e rotineiro para então enxergar com novos olhos o caminho que estamos traçando.

Um momento como este comumente é utilizado para ter novas experiências, conhecer novas culturas e novos locais, porém não se engane, isso não significa férias. Uma viagem sabática é repleta de responsabilidades, não das mesmas que enfrentamos no dia a dia rotineiro, num emprego das 8h às 18h, e sim responsabilidades consigo mesmo.

Quando se toma as rédeas do que fazer, o protagonista é você, todos os méritos são seus, entretanto, todas as culpas e responsabilidades também. Pausar sua vida, abrir distância entre você, seus amigos e sua família é uma experiência muito enriquecedora e, em muitos quesitos, assustadora.

Do que você tem medo? Veja os principais receios de quem pensa em partir para uma viagem sabática:

A decisão de partir para uma viagem sabática não é fácil, afinal, envolve questões desde financeiras até emocionais. Veja a seguir alguns dos principais medos em comprometer-se com uma viagem sabática:

1. Preciso de muito dinheiro?

A resposta é não! Não é necessário possuir uma fortuna para viajar! Vivemos em uma lógica em que não há lugar para pausas, tudo necessita ser feito rapidamente e com sucesso imediato.

Em um ano sabático o objetivo é exatamente o contrário, se distanciar destes padrões de comportamento comuns e aproveitar o que está ao redor. Obviamente a viagem não será recheada de confortos, restaurantes caros e hotéis cinco estrelas, porém será mais enriquecedora do que isso. No próximo tópico iremos abordar dicas para ganhar e economizar dinheiro viajando.

Se você quer viver a experiência de tirar um ano sabático, além de diferentes tipos de voluntariado, a Worldpackers também oferece cursos onlines que vão te ajudar a ganhar uma grana extra enquanto viaja

2. Preciso me demitir?

No Brasil não possuímos a cultura de afastamento do emprego, porém, você pode conversar com seu chefe ou supervisor sobre a possibilidade de garantir de seu emprego quando voltar.

No entanto, pedir demissão não é o fim do mundo. Após a viagem sabática você irá voltar com outra cabeça, outras crenças e possivelmente querendo fazer outra coisa com sua vida, como abrir um negócio, ir para outra carreira ou estudar outra coisa.

3. Como perder o medo de estar sozinho?

Neste ponto entram dois quesitos:

Primeiro, estar sozinho é uma das melhores coisas para a autoconscientização e reflexão. Não tenha medo de passar um tempo sozinho, envolto a seus próprios pensamentos. Leia um livro, passeie pela praia, tome um café em uma cafeteria local.

Segundo, quem viaja sozinho nunca está realmente sozinho. Seja conversando com locais, conhecendo pessoas (de todos os lugares do mundo, diga-se de passagem) em um hostel, ou utilizando fóruns de viajantes, sempre há alguém com uma história para te surpreender e entreter. Estas pessoas acabam virando seus amigos para o resto da vida!

4. E a saudade da minha família e dos meus amigos?

Este acaba sendo o ponto de desistência da maioria das pessoas. Claro que você irá sentir saudades, porém tenha em mente que este é um período seu, um período para crescimento pessoal. Não se esqueça que estamos no século XXI, onde temos a possibilidade de nos mantermos conectados em qualquer lugar do mundo, seja via Whatsapp, Facebook ou Skype, imagine como era um período sabático nos anos 80 ou 90?

6 dicas para ajudar você durante seu período sabático:


Dicas para você enfrentar o que você tem medo para tirar um ano sabático

1. Free Walking Tour

O movimento Free Walking Tour existe pelo mundo todo, onde um guia percorre a cidade com os turistas sem cobrar nenhum tipo de ingresso. Cada um remunera o guia com a gorjeta que puder, de acordo com o que acredita que o tour tenha valido!

2. Conheça outros viajantes

Conhecer outros viajantes é uma das melhores formas de enriquecer sua experiência, através de intercâmbio de histórias, conhecimentos e culturas. Existem diversas maneiras de conhecer outros viajantes, seja realizando algum tour, como o mencionado acima, ficando em algum hostel ou utilizando algum fórum com outros viajantes, como os fornecidos pela Worldpackers ou Couchsurfing.

3. Conheça moradores locais

Na minha opinião, esta é a melhor maneira de conhecer a cidade, pois você conhece o outro lado. Não a parte pintada e dedicada para turistas, e sim como realmente vive alguém daquela cidade. Enfrente o medo de conversar com algum desconhecido! Vá a restaurantes e converse com as pessoas, puxe assunto com alguém em uma pequena praça.

4. Economize em refeições

Quando você está hospedado em um hostel, normalmente possui acesso a uma cozinha totalmente equipada, sendo possível cozinhar sua própria comida. Por que não unir o útil ao agradável e cozinhar com pessoas que você acaba de conhecer? Além de fazer novas amizades e trocar experiências, a comida sai ainda mais barata!

5. Gastando menos com transporte

A não ser que você esteja em um pequeno vilarejo, transporte público normalmente está disponível. Ande de ônibus ou metrô para se locomover entre pontos distantes da cidade.

Para transportes entre cidades, existem diversos websites que podem lhe ajudar:

Rome2Rio – Este site busca trajetos menos convencionais entre cidades, dando opções mais baratas (por exemplo, indo de ônibus até a cidade vizinha e então um trem);

BlablaCar – Aplicativo de caronas, famoso em diversos países. O motorista e os caroneiros se encontram através do aplicativo. Os caroneiros apenas racham o custo da viagem;

Waze CarPool – Novo aplicativo do Waze, com a mesma funcionalidade do BlablaCar;

Skyscanner – Este é um site agregador de valor de diferentes companhias aéreas, normalmente mostrando o preço mais barato entre todas as companhias.

6. Economize na hospedagem

Couchsurfing – Esta é uma rede social de intercâmbio cultural. Nela você pode se hospedar na casa de outro membro em troca de suas histórias, experiências e vivência!

Worldpackers – Minha favorita da lista (esta modalidade trouxe as experiências mais memoráveis de minhas viagens até hoje). Você pode trocar voluntariado por hospedagem gratuita! Podem ser um hostel, uma fazenda ou até mesmo uma comunidade! Como funciona? Você troca algumas horas da sua semana para ajudar o local que o está recebendo e em troca recebe a acomodação grátis! Você pode se tornar um worldpacker e aproveitar seu ano sabático gastando bem menos.

Estes são os principais receios e medos de quem pensa em presentear-se (sim, pois uma experiência de vida é um presente de você mesmo para você mesmo) uma viagem sabática. As dicas servem para mostrar que as coisas são mais fáceis que parecem para um viajante. Existem diversas comunidades na internet que dão o suporte necessário para tranquilizar qualquer potencial mochileiro.

Do que você tem medo? Afinal, o que é medo? Não fique sentado vendo as oportunidades passarem na sua frente. Tome as rédeas deste medo e o transforme em motivação e gana para viajar e conhecer, para viver experiências e aproveitar para refletir o caminho traçado, conhecer novas culturas e costumes, conhecer pessoas de todos os cantos do mundo, visitar praias paradisíacas ou montanhas de cair o queixo e de quebra, adicionar um ou mais países à sua lista. Aproveite essas dicas para começar seu planejamento (ou não-planejamento) e saia por esse mundão para descobrir quem você realmente é e o que você quer de verdade!


Ed1f122864f5b83c2ad23f5b697ee1fd

Pietro

Abr 29, 2019

Economista que virou Nômade Digital. Vamos conquistar o mundo?


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor