Turismo acessível: o papel das viagens na democratização dos direitos

Será o turismo inclusivo para todos? Vamos discutir o papel das viagens e dos viajantes na construção de um turismo acessível para pessoas com deficiência no Brasil.

5min

turismo acessível

A maioria das pessoas que querem viajar acham que o maior desafio é o financeiro, mas já parou para pensar que existem centenas de aventureiros que além de pensar em seu orçamento ainda precisam se preocupar com a acessibilidade dos locais? Essa é a realidade de muitos viajantes deficientes que buscam, igual à todos, lugares que possam descobrir com liberdade e segurança.

O turismo acessível é uma discussão recente no Brasil, mas ainda há muito a ser desenvolvido. Aqui vamos conversar sobre a acessibilidade no turismo e como nós podemos colaborar com a inclusão social nas viagens. A sigla PcD significa pessoa com deficiência. Identifica as pessoas que tenham algum tipo de deficiência, que pode ser de nascimento ou adquirida durante a vida.

Tendo em vista tudo isso, é necessário se colocar no lugar do outro e isso já não é uma problemática recente. Como eu vivo viajando, essa pergunta nunca me sai da cabeça: Será que minha amiga caberia aqui? Tenho uma amiga íntima que ama fazer trilhas, mas já passou por muitos transtornos por ignorância e falta de estrutura dos pontos turísticos e trilhas por aí. 

É de se espantar o número de idosos, obesos, cadeirantes, dentre outros que tem o sonho de viajar mas se decepcionam com as limitações de todos os processos de um planejamento de viagem. 

Continue lendo, veja nosso Manifesto por um turismo mais consciente e coletivo e descubra Como um mochilão pode restaurar sua fé na humanidade

Turismo acessível: principais pontos para a acessibilidade


turismo para pessoas com deficiência

É preciso compreender que cada deficiência tem sua necessidade, então é preciso ser flexível e adaptável a cada situação, seja ela em ambiente urbano ou no meio da natureza. 

Porém existem diretrizes básicas para normatizar um hostel acessível, um hotel acessível e como tornar o banheiro totalmente acessível, por ser uma área muito íntima.

É fácil e prático pensarmos como a pessoa deficiente vai se locomover nos lugares, essa é a questão elementar que soluciona a maioria das questões. O maior desafio na questão da acessibilidade no turismo vai além das questões puramente físicas, mas sim na capacitação dos envolvidos no turismo adaptado, dessa maneira é preciso que os guias sejam altamente qualificados para atender todos os tipos de pessoas que querem desfrutar das atrações oferecidas.

Conheça seus direitos: Turismo baixa renda e os direitos da população em viagens.

Turismo acessível: planejando uma viagem sendo PcD

O planejamento de uma viagem acessível deve ser feito paralelamente com o planejamento convencional, mas terá quer levar em consideração principalmente o transporte e as atrações turísticas com opções de acessibilidade. Para pessoas com deficiência, existem algumas opções de transportes acessíveis e até gratuitos, assim como atrações turísticas totalmente adaptadas e inclusivas.

É também de extrema importância se inspirar e seguir dicas de pessoas que vivem isso em seu dia-a-dia. O Ricardo é uma inspiração para muitos: cadeirante e bacharel em Turismo, Ricardo escreve para muitas redes sociais e em seu blog pessoal compartilhando suas dicas e conhecimentos acerca de acessibilidade. 

Polly Marques é uma jornalista que viaja há mais de 5 anos o mundo e é extremamente ativa nas discussões acerca de acessibilidade e visibilidade das pessoas gordas. Felizmente, são diversos perfis que tratam de temas de inclusão social incluindo a acessibilidade no turismo em suas pautas.

Você pode se interessar: 


adaptabilidade no turismo

É possível planejar uma viagem levando em consideração a inclusão social no turismo e ainda assim economizar em sua viagem. Sabemos que é um desafio duplo viajar sendo PcD, devido à muitas das atrações turísticas com acessibilidade serem mais caras, o que não justifica, já que é direito judicial.

Porém, ainda existem algumas opções para quem busca exercer o seu direito universal de viajar: no Brasil, pessoas com deficiência possuem passe livre nos ônibus interestaduais.

Além desse transporte, em São Paulo toda pessoa com deficiência e seu acompanhante conseguem o cartão único em toda viagem, possibilitando maior locomoção entre os espaços. Em passagens aéreas, em alguns casos o passageiro tem direito à até 80% do desconto.

Existem diversas maneiras de você planejar sua viagem de maneira mais econômica, e sim, você pode e deve fazer uma viagem de voluntariado sendo uma pessoa com deficiência e conciliar a sua experiência de turismo com um voluntariado.

O volunturismo é a opção que busca conscientizar viajantes ao redor de todo o mundo através de viagens conscientes e com propósito. A Worldpackers é uma comunidade global de viajantes conscientes e anfitriões acolhedores que, desde 2014, promove milhares de conexões e experiências únicas em busca do desenvolvimento e da transformação do mundo em um lugar mais social e ambientalmente sustentável, garantindo a viagem como um direito universal de todos os cidadãos e democratizando o turismo para todos. 

Ser um voluntário torna a sua viagem em uma vivência cultural do local, fazendo com que você conhece ainda mais os hábitos dos locais, fazendo conexões com as pessoas que moram no locam e que esses a maioria das vezes sem tornam amigos companheiros de aventuras.

Existem diversas oportunidades de voluntariado no Brasil e no mundo que permitem com que você aproveite inúmeros destinos e viva experiências de um turismo acessível para todos.

Como garantir maior acessibilidade no turismo?

Viajar nunca foi apenas sobre conhecer paisagens e sobre os locais que você vai conhecer ou não. Viajar é ainda pouco explorado como forma de autoconhecimento, mas é a ferramenta perfeita para isso, experimentar a vida, saber até onde consegue ir, derrubar o máximo de barreiras e transcender a liberdade.

Quando decidimos pegar a mochila e partir nada nos tira do eixo. Para uma pessoa que é cega, surda, cadeirante ou obesa, as transformações são inumeráveis. Com isso, é de extrema importância que tenhamos maior responsabilidade social em nosso dia-a-dia garantindo um turismo mais acessível para todas as pessoas e além das viagens, um mundo mais inclusivo para todos. 

Nossas escolhas são ações políticas diariamente. E acredito que além de lutarmos por maior inclusão social nas viagens, devemos buscar diariamente informações que nos tragam ferramentas para exercer nosso dever como cidadão perante à outras pessoas. 

Veja também: Turismo voluntário: o que você precisa saber antes de postar e leia Dando vida ao meu projeto de empoderamento feminino na Índia


guia do turismo acessível

Portanto, o que devemos fazer para garantir maior inclusão no turismo e acessibilidade? Colaboremos diariamente com pessoas com deficiência próximas de nós e instituições que olhem para essa parcela da população, busquemos referências de PcD's no meio de viajantes e também não viajantes e tentemos construir novas opções de acessibilidade no turismo e garantir a viagem como um direito universal para todos. 

Fazendo nossa parte, um por um podemos construir um mundo melhor e acessível para todos! Continue lendo nossos artigos sobre turismo consciente, veja também: 



Leave your comment here

Write here your questions and greetings to the author










More about this topic